Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio ebook Vigilante

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


A LÍNGUA-PARTE III: CURIOSIDADES



					    
1 - “Coração, arriba, arriba, / Lá prà Terra de Miranda! / Bamos a comer canhona (trad. ovelha) / E caldo como bianda (trad. alimento). - Quadra popular mirandesa. Diferenças de sotaque já seria dificuldade de comunicação, mas pior num país pequeno onde existe oficialmente um único idioma. Cidadezinha no Nordeste de Portugal, MIRANDA DO DOURO, e ainda três aldeias, e como falam “esquisito”! Comunidade um tanto distante, relativamente isolada, mais próxima dos espanhóis que dos próprios portugueses, essencialmente região agropecuária, a 320 quilômetros de Madri e do Porto (percurso em menos horas além da fronteira que dentro de Portugal, inclusive para... atendimento médico)... A língua corrente (idioma extra-oficial) é o dialeto MIRANDÊS , oriundo do século XII, falado normalmente, sem retraimento algum, ensino escolar autorizado pelo Ministério de Educação em 1985 como facultativo, nas turmas de 5ª e 6ª séries de duas escolas, sendo que uma logo desistiu. Explicação é ser idioma neolatino, derivado do asturiano- leonês da Idade Média, séculos XIII e XIV (logo, língua intermediária, ou seja, a meio caminho entre o português e o castelhano), e até o prefeito ao final da década de 70 costumava fazer discursos em mirandês. Raro, contudo, quem o escreva corretamente, raro material didático, só existe uma gramática, e também rara bibliografia, dois livros de poesia e contos tradicionais espalhados ao acaso em jornais (piedosos?), língua estigmatizada por vínculo com camponeses em suas casas de pedras e fornos comunitários.. . Mas na Espanha ainda há quem estude catalão, basco e galego, oficializados pela Constituição como idiomas legítimos regionais. Na região portuguesa, há lápides funerárias que assinalam a passagem e fixação dos romanos. Mesmo curioso sobre tal resistência mirandesa, EU não sei em que ficou. 2 - “Cs’ é que m’ crê? Cantá nha terra!” (O que eu quero? Cantar a minha terra!) - Poeta SÉRGIO Frusoni, fragmento de poema. Li em notícia sobre CABO VERDE que o idioma CRIOULO (dialeto colonial) passaria a língua oficial do país em 2005, numa decisão ministerial. Puxa, ex-colônia portuguesa, república independente desde 1975, é a língua mais usada pela população - o idioma reinol, isto é, a língua portuguesa teve estatuto de oficialidade, ao passo que o crioulo sempre foi a língua dominante, ou seja, a de comunicação, a oralidade, o dia a dia, a informalidade... Curioso é serem 10 ilhas, superfície de 4 mil km2, a 400 quilômetros do continente africano, divididas em dois grandes grupos, se is ilhas + três ilhas, cada grupo com um crioulo bastante diferente, porém compreensível entre as ilhas, daí, com tais variedades, resta saber qual o dominante como... idioma oficial agora. Um grupo de trabalho iria estudar e contemporizar o assunto, chamando a sociedade ao diálogo para oficialização ou não do crioulo. Mesmo curioso sobre tal ‘liberdade’, EU não sei em que ficou. 3 - EU preciso com urgência aprender a falar e entender profundamente o especial e importantíssimo idioma CARIOQUÊS. FONTES: “A fala mirandesa em vias de extinção” - Jornal DIÁRIO DE NOTÍCIAS, Lisboa, 10/1/78. “O dialeto crioulo e a literatura em Cabo Verde” - Jornal D. O. Leitura, SP, ano 5, nº 49, jun./86. “Mirandês, o dialeto que morre em Portugal” - Jornal O GLOBO, Rio, 29/1/95. “Cantá nha terra!” - Revista LUSOFONIA, ano IX, nº 33, nov.-dez./2004. ---------------------------------------------------------------------------- NOTA DO AUTOR: LÍNGUA CRIOULA - Linguística: idioma autônomo nascido do contato com uma língua europeia, do colonizador, com alguma língua nativa, do colonizado, que aí se torna a língua-mãe da comunidade. CABO VERDE - Arquipélago desabitado quando descoberto pelos portugueses em 1456, o povoamento se fez com brancos da metrópole portuguesa, sociedade escravocrata, e, mais tarde, elementos negros africanos, particularmente da Guiné, dando origem a mestiços falantes de ‘crioulo’, idioma profundamente alterado em fonética, morfologia, sintaxe e semântica. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2013
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 239 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Paulistês eu sei falar - não muito bem, mas em todo caso é Sudeste e circulei bastante. Gosto de textos que ensinem coisas diferentes. Parabéns!

Postado por lucia maria em 07-12-2013

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.