Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio ebook Vigilante

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


EVA MODERNA DECIDINDO: EMPRESA OU FILHOS?



					    
ELAS não estão andando para trás, não regrediram. As lutas pelo feminismo, jamais fracassadas em totalidade, tiveram muitas fases desde EVA. Maior entusiasmo nos anos 60. Relativo esfriamento a partir de 2005 (para não dizer a década inteira pois não foi embruxamento na 12ª badalada)... Apesar de muitas lutas, nunca pé de igualdade no campo de trabalho entre homens e mulheres (no mundo, somente 17 países governados por mulheres): funções relativamente iguais, salários delas menores que os deles. Desde a infância, menino é “líder, vencedor, alfa”, menina é “mandona, pejorativamente machona, ômega”. Mas quem é a matriz de todos nós, quem nos dá a vida? Além disso, chega em casa exausta e ainda tem que organizar alimentação para a noite ou o dia seguinte, ‘despachar’ - como presidenta - junto aos ministros-mirins... Marido? Único momento em que aprova o sofá: “Gol do São Paulo!!! Querida, fez bolo de abacaxi?” Ocorre uma tendência norte-americana e, como todo mundo sabe, “pinto valente pia, o mundo copia” (inventei um provérbio!) - no supra sumo da carreira, a mulher larga o mundo do trabalho e passa a cuidar de mamadeiras e fraldas dentro de casa. Não vou discutir a validade, a ‘valitude’, a valentia, mas que está acontecendo, está. Trabalho/rua = família/casa ou trabalho X família? Conflito angustiante a (tentar) resolver: abandonar o diploma levaria a um estado de culpa? E quanto aos filhos, culpa maior? E a autoestima como fica? Há empresas - machistas? patriarcais? - onde produtividade e filhos são filosofias antagônicas a pista da ficha cadastral para proposta de emprego. (Ih, não vou ‘muito longe’ - homem separado ou divorciado também não é bem visto e é obrigado a negar, mentir, horrível preconceito em pleno século XXI.) Assim, nós temos as mães desempregadas porque têm filhos e as que se desempregam após terem filhos. Taí, em pensamento voltei a um tempo remotíssimo, década de 40, certo? Franco analfabetismo e nem sabiam o que era uma causa feminista. Precisavam trabalhar fora e pronto! Não existiam ainda creches nas empresas e em determinada grande fábrica de cigarros, no Rio de Janeiro, uma funcionária pediu ao chefe inglês, entre uma e outra cachimbada, a desocupação de uma sala de entulhos inúteis e criou um espaço onde as mães deixavam seus bebezinhos sobre acolchoados de jornal velho - umas davam o peito na hora certa ou as mulheres da cozinha preparavam mamadeiras. Mães trabalhadeiras, amorosas, bebês felizes. ---------------------------------------------------------------------------- FONTE (de inspiração): “Pós-feminismo ou retrocesso?” - Revista MARIE CLAIRE, SP, agosto/2013. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2014
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 251 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Aqui você valoriza a mulher em geral e o seu bendito/maldito sofá em particular. Não, não tem bolo de abacaxi - tem um roupeiro imenso para passar, interessa? Parabéns!

Postado por lucia maria em 24-01-2014

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.