Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio ebook Vigilante

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


APRENDI NUMA PALESTRA SOBRE (o fenômeno) POLTERGEIST



					    
O homem é uma eterna incógnita desde que nasce... e ao longo da vida acumula energias, “segredos” a serem desvendados por pesquisadores e cientistas, como por exemplo HELENA PETROVNA BLAVATSKY, na obra The Theosophist, em 1879. O fenômeno POLTERGEIST é perfeitamente explicado pela moderníssima ciência chamada Parapsicologia, surgida a partir de 1930 com os trabalhos desenvolvidos pelo Dr. Joseph Banks Rhine na Universidade de Duke, Carolina do Norte, Estados Unidos, somente adquirindo caráter científico em Utrecht, Holanda, em 1953, pois a ciência oficial ou ortodoxa negava-se a comentar tais fenômenos. O termo Poltergeist surgiu do alemão “polter + geist”, significando literalmente espírito batedor ou barulhento. Esse fenômeno não é nada misterioso ou inexplicável à compreensão humana e também não ligado à religião e crenças no sobrenatural. A Física Quântica admite que a matéria não é o centro de tudo (para o físico tradicional, o átomo explica o Universo) e admite rever o conceito de físico (matéria), já que tudo é energia. Nas pessoas consideradas poltergeists, o fenômeno ocorre, na maioria, em pessoas frustradas, com uma agressividade reprimida, altamente carentes em afetividade e às vezes com diversas patologias mentais, como paranóia e esquizofrenia. Diversos fenômenos, como Parapirogenia (combustão humana espontânea), Estigmatização, Levitação e outros têm o nome genérico de Poltergeist - os efeitos são de caráter físico ou físico-químico produzidos sem causa aparente ou detectável por elemento da família ou alguém de assídua presença. O fenômeno já foi altamente analisado e comprovado por muitos cientistas. A menina mais estudada efetuou um total de 1050 telecinésias (movimentar ou levitar objetos com a força da mente), sendo 67 vezes num único dia. Há o caso de outra cuja mãe se ausentava, deixando-a sozinha - portas batiam e pratos eram arremessados. Uma pesquisa moderna aponta o tédio como uma das principais causas aparentes das manifestações do subconsciente, pesquisa constatada em 86% destas manifestações ocorridas após mudança de pessoas de baixa renda para conjuntos residenciais, ambiente agora despersonalizado e deprimente. Os fenômenos de poltergeist ocorrem fora da consciência do emissor, fora da capacidade de atuação consciente. Para a ciência parapsicológica, é um lado interessante e inexplorado pela mente inconsciente do ser humano. Mais fácil a ciência e a psicanálise considerarem um hóspede desconhecido”, espírito batedor, duende travesso, fantasma etc. Casas mal assombradas (?) ‘existem’ no mundo inteiro desde a Antiguidade. Um caso espetacular ocorreu entre agosto/1978 e setembro/1979, perto de Londres, numa família com duas filhas - ao início, sons moderados, incluindo passos leves, depois uma voz aterrorizante, a seguir papéis e roupas inflamavam-se espontaneamente e fósforos acendiam dentro das gavetas, facas eram torcidas, pedras estouravam no chão, as duas irmãs eram brutalmente atiradas para fora da cama. A casa foi invadida por curiosos, amadores, cientistas, parapsicólogos, ocultistas e religiosos, brinquedos eram atirados sobre os fotógrafos. A menina de 12 anos levitou diversas vezes, deslocada perto do teto, esperneando e gritando; foram atirados para fora o fogão, um sofá, uma cômoda e a cama do casal. Outro notável poltergeist foi registrado em Mato Grosso, vinha ocorrendo há 3 anos, publicado em dezembro/1972 por um jornalista cético. Em São Paulo, uma adolescente de 15 anos ateou fogo num guarda-roupa e promoveu forte explosão na casa, ela a 20 metros distante - personalidade muito forte, família desunida e o pai, com problemas de visão e sem um emprego estável, a surrava com frequência - é provável que, sensível e frustrada, ela fornecesse a energia de que precisava o demolidor invisível. O que despertou a curiosidade da ciência, e isto ocorreu várias vezes, foi o fato de serem interrompidas as manifestações poltergeist com a simples chegada de um parapsicólogo, força inteligente capaz de descobrir de onde se originava aquela energia maléfica. Um poltergeist verdadeiro não é provocado por fantasmas como a mídia (via tevê e cinema) preconizam - é tão somente fruto de uma mente dotada de efeitos psíquicos desequilibrada. Esse fenômeno coincide com o despertar da puberdade, ou seja, na adolescência, quando há no corpo da criança uma transformação total, verdadeira mudança interior que pode encontrar um meio ou processo de desequilíbrio emocional, isto é, sentimentos conflitantes. A sensibilidade quer se expressar e só o consegue através de um canal de paranormalidade - a mente do jovem atua como agente determinante (causador) e as pessoas de seu convívio são os agentes catalisadores. FONTE (da palestra): -------------------------------------------------------------------------- Jornal PRANA - Rio, Outubro/2011, 176ª edição. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2014
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 171 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Isto é um caso complicado. Aqui em casa, por exemplo, há um fantasma que desloca livros e embaralha papéis... Come todo o queijo da geladeira. Bebe licores sem abrir garrafa. Boa pesquisa. Parabéns!

Postado por lucia maria em 10-05-2014

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.