Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio BAC

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


ESCOLHAS: OU UMA COISA OU OUTRA



					    
Escolher entre isto e aquilo é quase uma arte – metaforicamente falando, assumir o risco do sucesso ou do fracasso: escolhe-se azul, renuncia-se ao vermelho e vice-versa. Se a escolha foi errada, assumir a burrice da perda, não olhar para trás! O pior é que, mesmo não sendo assim uma “complicação dos diabos”, nunca estamos preparados para perder ou renunciar. Quem por acaso ficou feliz com a primeira reprovação escolar ou a demissão no trabalho? E o abandono conjugal se formos a vítima? Nestes casos, perdas involuntárias, sem escolha. “Onde foi que EU errei?” – eta, pensamentinho clássico! Se for algo muito sério, de imediato surge a decepção, em grau mais elevado a frustração, se mais sério ainda a depressão e, muito pior, o trauma - foi-se a energia vital. Meu vizinho é tímido desde a infância, sofre de gagueira, é todo distraído, não possui nada de “social skills” (habilidade de se socializar), nenhuma competência para comunicação, mas é inteligente. Passou em três vestibulares; indeciso como sempre... acabou fazendo a escolha ‘torta’ de optar por Direito, quando deveria era ter se matriculado em Artes Cênicas – quando cansasse de um personagem, teria outros ou cresceria no automático – ou Astronomia – para viver de vez, sozinho, no mundo da lua. Em gíria brasileira, FERNANDO PESSOA, poeta português, ‘chutava nas onze’, com variados heterônimos que não o deixavam perder – felizardo com muitas opções versáteis. Com ele, ou este ou qualquer um dos outros, a escolher, e todos reunidos num só corpo, uma única... pessoa. Complicado EU, na “má dureza” (nem madureza nem maturidade, que têm outras definições...) da vida, ter que escolher eternamente sozinho ou... uma só companheira? Por que não esta......... e também aquela? Uma e outra. Garanto que jamais irei me decepcionar, frustrar, deprimir, traumatizar. NOTA DO AUTOR: HIPARCO – Século II a. C. Consta ter sido o maior astrônomo da Antiguidade. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2015
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 86 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Cecília Meireles diz - ou isto ou aquilo. Sexismo - homem quer ter duas ao mesmo tempo, mulher não pode. Mas há um paraíso oceânico, legalizado: ela e eles! Você sabia? A antropologia localiza e ensina, meu caro. Parabéns!

Postado por lucia maria em 14-02-2015

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.