Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio ebook Vigilante

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


E-MAIL (nada) "SECRETO



					    
Tá certo: enquanto o cidadão trabalha glorioso durante décadas e tem uma profissão ou função no trabalho menos falada e valorizada socialmente, não importa salário alto ou baixo, o mulherio inconsciente ainda tem que procurar no dicionário, é como se o fulano mal e mal existisse... Debocham: “Fica sujo de graxa? Usa macacão e sapato ‘esquisito’? E se der bolha no pé? Ah, depois banho quente de meia hora? E quando não chove e falta água?” Macacão?! Na moda feminina, se curto, o nome é macaquinho (nada a ver com símio mirim), pano grosso, porém granfino, alguns até enfeitados com rendinhas e pedrinhas brilhantes, usados com tênis delicado e meiazinha de seda... Passeiam, vão ao cinema, à cantina, as amigas querendo saber em que loja comprou. Tenho um AMIGO em Campinas que é ‘representante comercial’ de uma empresa que negocia material para construções. Jeans escuro e camiseta, masculino perfume de sândalo. Viaja, participa de seminários e exposições, manja muitíssimo de construção civil, caminha em paralelo com os engenheiros. Mas aí, elas pedem explicação e ele traduz: “Vendedor...” Viram a cara, pode? Tenho um AMIGO em Sor... (leitor, esqueça!) – não sei muito bem o que ELE faz /meus dedos cruzados nas costas, tevê mostra bastante isso/, me parece que fabrica........ parafusos. Aí, de repente, ELE passou a escrever contos-crônicas-poemas e entrou no ano seguinte para a faculdade de direito. Revolução (nem escravagista nem cafeeira) no Estado de São Paulo. Sua literatura foi descoberta por quem não o via há muito tempo, antes mal olhava a cara dele, notícia se divulgou, ler no site literário não creio que o façam, porém o mulherio passou a paparicar, elogiar, escritor, brevemente doutor advogado, Facebook para lá e para cá, ELE expõe um besteirol qualquer, todas se derretem com elogios, mas é leitura pública, a de casa poderia bisbilhotar, super extra hiper curiosa, e um dia ELE avisou a uma “amiguinha” anterior – no Face da própria – “Leia o seu e-mail...” Naturalmente, algum assuntinho secreto, niver dela, derretimentos dele... É evidente que sim. Em casa, ELE e a mulher brincam de trocar mensagens no computador único. Muitas risadas. Ou brigalhadas divertidas. ELES se dão mutuamente ‘boa noite’ minutos antes de se deitarem juntos, em boa noite de mais calor. ELA às vezes se engana, são 8 pessoas iniciadas com a letra “A”, mas o vício é ELE (um tipinho sem graça, bobo, inteligência curta, ‘imbecil de galocha’, não sei o que ela viu no cara... – vai ver, é rico: LOBATO de Taubaté foi preso por dizer “O petróleo é nosso!”) e manda para ELE o que seria para um parente ou amigo/amiga “A” - explica em e-mail imediato: “Engano”. Bom, não posso crer que ELE tenha também 8 pessoas com a letra dela, mas um dia destes errou – pimba! – e, talvez viciado nela, colocou diferente nome feminino e mandou para a mulher de casa mensagem melosa com assuntos particulares que a coitada ignora(-va). Tudo bem. Retribuição na mesma moeda. ELA enviou para o marido, “A”, sem possibilidade nenhuma de equívoco casual e sim um qüiproquó maldoso, o que escrevera para Paolo (que logicamente seria “P” no e-mail), aquele ‘giornalaio’ que tem banca na porta da padaria. Estudou muito o que escrever, jogou frases em duplo sentido, jogo de ambigüidade, palavras que poderiam ser maliciosas, sensuais ou não, dependendo de leitura fria ou passional. Enviou. De repente, uma dúvida atroz. Farta de saber o nome correto do bonitão, mas...... “E agora? Ele é mesmo Paolo? Ou é Carlo? Não, Carlo era outro...” Sacudiu-se. Se Paolo, o marido conhece (vai dar tiro?); se não Paolo, seria um terceiro......... Tudo bem. “Ordem e Progresso. Liberdade Igualdade Fraternidade. In God we trust. Nada disso. É Direitos e Deveres. A gente casa e desconhece as leis do casamento que não passa de um contrato civil como outro qualquer.” Foi para o computador pesquisar se o tal contrato prevê a pena da traição... Se ELA souber que assunto familiar virou conto, durante 7 dias dormirei no sofá da sala. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2015
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 175 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Conheci de um jeito, 'doutor' não me impressiona... Sim, greve do sexo vem desde Lisístrata (isto mesmo?) e toda casa deve ter dois computadores em cofre de cadeado e um sofá. Adorei o texto. Parabéns!

Postado por lucia maria em 22-02-2015

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.