Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio BAC

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


CABISBAIXO, ENSIMESMADO...



					    
...modernamente um ‘quase’ autista? Não. ELE era um a r t i s t a. Bruxo, talvez – bruxo hipnotiza desde o primeiro minuto e viramos seres encantados a espera da próxima leitura. Só não foi assim um bruxo voador – vassoura medieval, ponte aérea; foi bastante andarilho. Com os personagens, “passou” pelo centro, Lapa, zona sul carioca a partir da Glória até Botafogo, zona norte incluindo Andaraí, outros lugares e Alto da Boa Vista. O Jardim Botânico era um lugar bonito, alameda de palmeiras, porém distante e sem muitos veículos. Arriscou, sem passaporte, Itaguaí (abrigo dos amores de Pedro e Domitila no Palacete de Santarém), Petrópolis e Friburgo /Europa, muito longe e dispensável./ 1-ITAGUAÍ – Área extensa desde Santa Cruz, no Rio, este município fluminense foi criado em 1818, sob a proteção de São Francisco Xavier (igreja de 1729, no alto da colina – cemitério próximo recolheu cerca de 25.000 escravos, contrabandeados no local, junto com louça inglesa e chá, após “proibição” /no Brasil?!/ do tráfico negreiro, e dezenas de japoneses de uma posterior colônia agrícola), onde até hoje se pode ver fragmentos da estrada no rumo a São Paulo. Nenhum resto do convento dos jesuítas nem do aldeamento de índios guaranis originalmente migrantes ‘gaúchos’. Talvez a Fazenda de Santa Teresa, casarão de 1857, tenha inspirado a Casa Verde – Bentinho nasceu neste sobrado. /// 2-PETRÓPOLIS, capital imperial do verão (verdade que capital oficial do país na República Velha, entre 1894 e1902?) – Pessoas de mais posses fugiam ao calor e nas fases de pestes e epidemias, como o cólera, que arrasava o Rio nos meses quentes. Barca, trem e diligência, quatro horas de viagem. Mais vezes um personagem ia de um lado a outro, subindo e descendo a serra, bela paisagem, belezas naturais da Mata Atlântica, que o tranqüilo escritor se afastava da escrivaninha – em 1883, uma ferrovia abreviou a viagem para duas horas. (Viagem de uma hora através da rodovia Rio-Petrópolis aberta em 1928.) Chique era o Hotel Bragança, fundado em 1848 por um francês – 92 quartos, restaurante para 200 pessoas... e um teatro. /// 3-FRIBURGO – Lugarejo de pouco mais de 10 mil habitantes nos finais de semana que espiavam prazerosamente a chegada dos visitantes no “maria-fumaça” vindo de Niterói. Idem quatro horas de viagem. Bom clima para recuperação da saúde e o casal JOAQUIM MARIA e CAROLINA teve essa experiência comprovada. Chique era o Hotel Egert, fundado em 1861 por um alemão emigrante do grupo de 1824. /// 4-RIO DE JANEIRO – Geografia urbana... Ler MACHADO não é ‘perder-se’ no Rio de Janeiro, onde era este ou aquele lugar, as casas, as confeitarias... Ocorre apenas que de tempos em tempos os locais mudam de nomenclatura, só isto. No centro da cidade, o Campo da Aclimação é hoje o Campo de Santana; o Rocio Grande é a praça Tiradentes; as ruas da Carioca (houve a época de ser chamada rua do Piolho), da Constituição (em 1853 se chamava dos Ciganos), do Senado, do Lavradio, do Ouvidor, dos Inválidos, da Quitanda, a Uruguaiana, a Gonçalves Dias, a São José, a Senador Vergueiro, a São Clemente, a Dois de Dezembro, a Marquês de Abrantes e também o largo de São Francisco sobreviveram; a “dupla” paralela rua da Princesa e do Príncipe passaram a ser Barão de São Félix e Senador Pompeu; a rua da Ajuda, após placas variadas, voltou ao nome antigo, idem ruas da Alfândega e da Assembleia; a do Cano é a atual Sete de Setembro; a do Paço... passou a praça XV; a dos Barbonos virou a Evaristo da Veiga; a Matacavalos emplacou para do Riachuelo e a Mataporcos passou a Frei Caneca; a Cidade Nova já era assim chamada, assim como os morros do Livramento e da Conceição (o morro do Castelo foi demolido), bons lugares para gazeta da escola, caçar passarinhos e soltar pipa; a rua do Conde mudou para Visconde do Rio Branco (popular expressão, desconheço o significado, quero crer sutil ofensa, “ir para a rua do Conde puxar um bonde”, veículo outrora de tração animal); na zona sul, a Bela da Princesa é agora a Corrêa Dutra; caiu no esquecimento falar-se bairro do Engelho Velho, hoje região da praça da Bandeira; a ilha Fiscal é vista ao longe, monumental construção, na memória “o último baile do Império”; as praia do Flamengo, do Russell e de Botafogo, assim como os bairros da Saúde, Catete (o palácio se chamava Nova Friburgo), Santa Teresa, Catumbi, Rio Comprido, São Cristóvão, Andaraí, Tijuca, Engenho Novo, Rocha, Glória (largo do Machado veio depois), Laranjeiras, Cosme Velho, Gávea e Copacabana, continuam batizados como talvez tenham nascido. Em “A semana’’, 1896, ELE vaticinou uma ponte entre o Rio e ‘Nictheroy’, se não física, de ferro, pelo menos política, unindo como único os dois Estados, que teria o nome de Guanabara... “Tudo pode acontecer. Um dia, quem sabe?” FONTES: “As cidades por onde andou” – “Uma geografia de sonhos e delírios” – JORNAL DO BRASIL, Rio, 18/6/89. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2016
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 93 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

O menino do morro cresceu no corpo, na vida... até internacionalmente... sem precisar sair daqui. Grande Joaquim Maria e sua geografia brasileira! Parabéns!

Postado por lucia maria em 06-02-2016

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.