Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio Autores & Leitores

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


ETA MENINOS LEVADOS!



					    
PARTE I - BAUDELAIRE, Charles Nasceu em Paris, Ariano de 9 de abril de 1821. Por muito tempo, a crítica literária o considerou uma ‘bête noire’, fera, monstro, autor de “Flores do mal” (1857, 100 poemas que ‘ultrajaram’ (?) a moral pública da época) e “Curiosidades estéticas”, e propagandista da obra um tanto sinistra de POE (Edgar Alan), do período romântico, na Europa. Depois, virou uma das fontes da ‘poiesis’ contemporânea, talento visionário e profeta da futura modernidade, com idéias próprias, opondo-se a estereótipos. Muito álcool, muita droga. Poeta do ‘spleen’ (tristeza pensativa, melancolia) das perversões e das ruas putrefatas e boêmias de Paris, mistura de sentidos, intelecto e estética lúcida (inspiração para o romance “Noite na taverna”, 1855, mistura ultra-romântica de drama e horror, do brasileiro ÁLVARES DE AZEVEDO). Precursor do simbolismo, teve uma existência contraditória, diferentes biógrafos dissecando o horror ou o êxtase de sua vida. Perdeu a áureola dos deuses ao ser obrigado a vender seus poemas, sublimando as paixões e virando produtor de mercadorias, herói moderno predestinado à derrota. Teve ligações com VICTOR HUGO, DELACROIX e admirou TÉOPHILE GAUTIER. Sofreu uma queda em Namur, Bruxelas, 1866, na Saint Loup, sua igreja barroca preferida, colapso acompanhado de alterações cerebrais e afasia, e o trouxeram para o Hotel do Grand Mitroir. Hemiplegia no mês de março. Deprimido, virou farrapo humano, consciente de sua doença. Depois, desapareceu, silenciou... Morreu em Paris no ano seguinte. FONTES: “Arte e modernidade segundo Baudelaire” – Jornal O GLOBO, Rio, 31/5/92 // “Horror e êxtase da vida”, Bella Josef – Jornal O GLOBO, Rio, sem indicação de data. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2016
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 120 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Aula teórica sobre autor de literatura francesa. Pesquisei a obra do poeta para entender melhor. Parabéns!

Postado por lucia maria em 05-03-2016

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.