Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio ebook Vigilante

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


AUTO DA COMPADECIDA-FINAL



					    
ARIANO SUASSUNA - 1927 2014 - Advogado, dramaturgo, romancista, ensaísta e poeta. Geminiano. Defensor da cultura do Nordeste. De formação calvinista e depois agnóstico, mais tarde converteu-se ao catolicismo, o que viria marcar sua obra. PEÇA TEATRAL, literatura de cordel: a construção, estrutura da forma literária. Ironia mostra as falhas: só se ironiza o que pode ser consertado. Plena aceitação cristã do homem e do mundo. Grande confiança na humanidade. --- AUTO - peça edificante religiosa moralizador. --- COMÉDIA DE COSTUMES - caráter moralizante. --- ASSUNTO - os pecados e os erros da humanidade. --- MOTIVOS - populares: JOÃO GRILO, cavalo bento, testamento do cachorro --- TEMA CENTRAL ou NÚCLEO - o perdão da Compadecida para humanidade pecadora --- TEMAS MENORES - ganância, espírito de burla, soberba. P E R S O N A G E N S 1-JOÃO GRILO - trapaceiro, mentiroso, malicioso, intuitivo, sabe o ponto fracos dos outros, lema do “deixa comigo”, vocação do “eu me viro”; gosta de situações confusas, mas divertidas para ele, confusas para os outros; adora se divertir, gosta de tudo e nada lhe parece errado, sempre dono da resposta certa na hora exata; versátil, arlequinesco, desconfiado, mentiroso por conveniência, com “maldadezinhas pequeninas, por vezes debochado e irônico, bom e sincero amigo de Chicó; padre o chama de “amarelo muito safado”, Chico o chama de “o Grilo mais inteligente do mundo”; sincero com quem merece; Manuel o chama de “astuto”, Encourado o chama de “enganador de todo o mundo”; ele chama os outros de “pamonhas”; ele próprio se diz “um sem-vergomha”; fiel e devoto de Nossa Senhora. // 2-CHICÓ - contador de lorotas que se auto convence de “verdade” nas suas estórias; sujeito simplório que nunca se zanga, mesmo se duvidado; bom amigo, ingênuo, sincero; mentalidade infantil, fantasiosa e poética; necessidade de criação mental; galanteador; JOÃO GRILO o dá como “sem confiança, frouxo, leso de marca”; hipócrita e discreto por conveniência; verdadeiro amigo de JG; fiel devoto de Nossa Senhora; medroso de alma do outro mundo. // 3-MANUEL - desestruturação de preconceito contra o negro justo e sem demagogia e protocolos da “justiça” terrena, íntimo e simples em suas relações com humanidade, compreensivo, piadista brincalhão, bondade simples e digna os gestos e nos modos, apresentado fisicamente igual a qualquer elemento do povo, deus de proximidade corporal com o homem // 4-COMPADECIDA // tão gente como qualquer pessoa, bondosa, mãe da justiça e da misericórdia, advogada do mundo, misericordiosa com toda gente, piedosa, alegre e verdadeiramente uma compadecida dos pecadores, otimista, feliz; Joõ Grilo a chama de “gente boa”. // 5-ENCOURADO - nacionalizado sob os trajes de cangaceiro (universal adaptado ao regional), maniqueísta, acusador da humanidade, acusado de ser “meio espírita e com a mania de ser mágico”, sempre escorado em seu parceiro Demônio, entrada em cena de modo solenizado e grotesco; vaidoso, orgulhoso, severo com a humanidade, desejo de equiparar-se a Deus, imagem dele é profundamente repugnante (refletida no sócio), chamado “pai da mentira”, temente a Jesus, ameaçador da humanidade; João Grilo o chama de “catimbozeiro”; também chamado de fariseu e negociante; ingênuo apesar de tudo; reconhece a grandeza bem maior de Manuel; João Grilo o chama de “ruim e filho de chocadeira” // 6-DEMÔNIO - subalterno do Encourado (um se apoia no outro), chamado de “imbecil” pelo chefe , severo, servil com Encourado, também pressuroso com este // 7-PALHAÇO - porta-voz do AUTOR, acusador da humanidade, critico à moral da Igreja, propagador e montador do espetáculo circense; João Grilo diz que ele “tem medo de alma” // 8-SEVERINO - cangaceiro, homem horrível, valentão, brabo, ladrão, assassino, no fundo um pobre papo-amarelo ingênuo, moralista com a mulher do padeiro, debochado, irônico, crente em ouvir falar de Padre Cícero de quem é afilhado devoto, tem medo de asSombração // 9-CANGACIRO AUXILIAR - apenas cópia “mais mansa’ de Severino, também ingênuo. // 8-9 - ao final, perdoados e desculpados pela Compadecida, como vítimas de uma injustiça social morte da família por assassinato), que os atira a uma vida de banditismo // 10-PADRE - interesseiro, subserviente com os mais poderosos, falso, mentiroso, mau padre, não agrada a gente humilde, fingido, sacrílego or interesse, medroso, preconceituoso (ref. raça e riqueza), arrogância com os pequenos, Encourado o chama de “preguiçoso” // 11-SACRISTÃO - pedante, hipócrita, pernóstico, interesseiro, calculista, sacrílego, medroso, Encourado o chama de “patife” // 12-BISPO - interesseiro, corrupto, comerciante; padre o dá como (=águia) um “verdadeiro administrador”; oposto ao anterior bispo, “que era um santo”; sacrílego; palhaço diz que é “grande político”, Severino diz que é “chameguento e xiliqueiro”, Manuel o chama de “bispo indigno, mundano autoritário, soberbo” e “avarento, simoníaco, político”; oportunista, acusado de simonia; Encourado o chama de “leviano, velhaco, político apodrecido de sabedoria humana”, a Compadecida o chama de “trabalhador” (ela o desculpa); temente respeitoso com Encourado a quem chama “Senhor Demônio” // 13-FRADE - verdadeiro discípulo do Senhor, bondoso, espírito de auto sacrifício e amor ao próximo, bom cristão, pureza angelical, santidade, caridade, desligado das coisas do mundo; bispo o chama de “débil mental” // 14-ANTÔNIO MORAIS - império do dinheiro, dominador econômico, petulante e atrevido, folgazão, ocioso senhorial, dono das minas da região, homem poderoso, enriqueceu (!) por causa de minérios durante a guerra // 15-MULHER DO PADEIRO - leviana, namoradeira, volúvel, contudo é ingênua; ruim esposa, um tanto maníaca (bicho e dinheiro), infantil, não gosta de seres humanos, má com empregado João Grilo, adúltera; Severino a chama de “sem-vergonha, oferecida e mulher safada”, Chicó a chama de “mulher valente”, ela própria se diz “-pobre moça casada com homem rico”, alegando sua “condição de mulher, escravizada pelo marido”; Compadecida a perdoa por sua condição feminina, sabe “o que as mulheres passam no mundo” // 16-PADEIRO - ingênuo, amoroso com mulher, tolo com mulher, mau com empregado João Grilo, repetitivo do que a mulher diz, sem personalidade, corajoso ao ficar na frente da arma do bandido, avaro; esposa o chama de “frouxo safado”. FONTES: AUTO DA COMPADECIDA, de ARIANO SUASSUNA “Cinco livros do povo”, Coleção Documentos brasileiros, n. 72, de LUÍS DA CÂMARA CASCUDO - Rio, 1953 // “Literatura popular em verso”, tomo 1 - Rio, 1964 // “Cartilhas de teatro”, v. 1 - Rio, 1969 // Revista de Cultura Vozes”, n. 8 - Petrópolis, 1970. F I M
Copyright ATHINGANOI © 2016
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 52 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Personagens desfilando, analisados um a um. Cenas da telinha na minha memória. Parabéns!

Postado por lucia maria em 03-12-2016

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.