Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio BAC

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


CONTO DE FADAS COM FINAL EM SUSPENSE-PARTE II



					    
1---Outra vez folhas de papel azul, desta vez presas no pára-brisas sem que EU visse quem colocou.  Mesmo posto de gasolina, mesma cidade.  Entendi ser uma princesa da Idade Média, conseguindo transpor tempo e espaço - EINSTEIN explicaria.  (Explicaria?) 2---NEO CONTO DE FADAS   -   Carta: Meu lindo cavaleiro e cavalheiro (old hippie) do Reino Encantado: PEACE AND LOVE, “PAZ E AMOR”, muitos dirão isto no futuro, em 1968.  Conflitos internos da nossa alma cessarão (ou apenas se esconderão, em eterna imaturidade?!) aos 25 anos de idade, como ouvi certa vez:  “Só se é verdadeiramente adulto após um quarto de século” - o fulano fizera 25, já doutor formado e juramentado, exatamente 5 meses antes da AMIGA a quem escrevia desde jovenzinho, e bem logo ELA confirmou esta verdade sensível e filosófica. ----- EU sei que a vida é uma soma de ciclos físicos e metafísicos momentos bons (antecipando o carpe diem renascentista:  aproveitar e gozar o momento profano - aprendido e apreendido -, expandir nosso ser) e momentos ruins (lutar corajosamente para não sermos eternas vítimas lacrimosas e lamentosas), altos e baixos, felizes e tristes, o mundo é dualidade, ou seja, dois caminhos, duas escolhas, duas saídas.  O ideal seria que fossem todos bonitos.  Saudades de mim na infância despreocupada em que 10 grãos de feijão enchiam a mini panelinha e duravam uma semana.  Mulher sofre imposições - acaba de nascer,  bonequinho-filho amarrado ao berço.  Aos 2 anos, enfiei o dedo na tomada, idéia de “ficar quente e passar a roupa amassada de... cinco bonecas.  (Futuras filhas?)”... ----- Pânico geral neste momento, quase chorando.  Socorro!  Hoje estou muito triste, desanimada, vagamente preguiçosa e doentinha, dor psicológica no corpo inteiro, dengosa, crise existencial pessoal, nada a ver com ninguém, abandonada, vontade de dormir 30 horas seguidas, sem pensar em nada ou sonhar apenas com sapos velhos e desgastados ou reis reumáticos e aposentados (evitando sonhos eróticos porque num destes EU estava grávida do Anjo Gabriel, pode?) - tão sensível que a sensação é até “escutar” o vôo de uma borboleta.  Cada passo é uma coisa que não dá certo, um bando de gente saindo e sumindo do meu convívio.  As pessoas me ferem, me ofendem, me magoam, ninguém pergunta depois se fiquei ferida ou magoada.  Vou chorar e ficar sequinha e depois morrer de tristeza e inanição.  Salve-me, querido menestrel!  Tão infeliz que até recusei ao almoço pudim de leite condensado - não ria, tragédia grega,  por que, não sei... -----  Quase cinco anos depois, e continuo enclausurada na Torres Silenciosa do castelo do senhor meu pai, cercada por dragões alados - ferozes cuspidores de fogo contra príncipes tentadores.  (Ainda haverá zelosos pais vigilantes no século XXI limitando radicalmente as horas de lazer e recreação?)  De longe, ouço a linda canção romântica que ecoa de seu alaúde.  Recebi a rosa, prenda sonhada, através do pássaro Gmail que voa quilômetros em frações de segundos, porém ele é frio, indiferente, não colocou emoção na flor............. /A este narrador, pareceu suspense na narrativa./  Venceu a energia negativa das bruxas más sobre as fadas boas e na hora não pude lhe mandar mensagem alguma (no futuro, esta energia positiva se chamará Internet) de agradecimento ontem - por enquanto, o mundo calou minha boca de revolta.  Do alto da minha cela na torre, aceno com lencinho azul (donzela pré-hippie rebelde só us esta cor!) e envio um beijo sob forma de um pássaro prateado que pousará sobre seu ombro esquerdo, lado do coração. ----- Você é o meu anjo da guarda ou um príncipe-sapo?  O que dizer a quem nos cai do céu de repente?  Acho que o conheço desde a eternidade, “antigos” AMIGOS há séculos.  Entre na fila, príncipe ou plebeu, mas sedutor e perigoso, para disputar o meu amor pois em todo CONTO DE FADAS os candidatos à mão da PRINCESA têm sempre 3difíceis tarefas a enfrentar, porém o galã preferido sempre vence ao final da estória. Vencedor pela teimosia e persistência lentas.  Amiga sansei emprestou um apelido-senha, “doce geisha”, se quiser mandar bilhete às escondidas (em linguagem futura, serão nick e e-mail). ---- - Com especial carinho, ----- PRINCESA IRENE (paz em grego / campeã de redação escolar). 3---O pássaro retornou à torre com a seguinte mensagem: Donzela, tenha sempre bondade e vontades lindas no seu coração;  assim, não haverá energia ruim que a atinja.  Oxalá minhas melodias bastassem , quiçá EU  possa vencer.  Vejo-a perfeitamente, lenço azul... pequeno... lá no alto.  Não sou guerreiro.    Não luto, minha disputa ou meu jogo é com as palavras, os sons  - e os sentidos das palavras são muitos.  Seria melhor se EU tivesse acesso direto ao rei do que disputa pelejas com todos estes dragões alados u outros cavaleiros nada cavalheiros.  Minha melodia não cessa mesmo quando surge a noite, dias quentes, noites frias-- vinho e alaúde ao redor do fogo para esquentar.  Uma frase filosófica de repente me surgiu do nada:  “Nosce te ipsum” - conhece-te a ti mesmo PIADA - Namorada se expõe nua ao namorado também nu.  Ela:  “Me faz tua mulher agora...”  Ele empilhando as roupas de ambos:  “Que ótimo!  A caminho do tanque imediatamente...  E há um louceiro sujo na pia da cozinha.  E também........” Divórcio imediato antes de casar.  HQ - “Coisa de louco”, de DANA SUMMERS - Cavaleiro em traje metálico (armadura com elmo) abre a caixinha de cigarros, leva um à boca, gesto de chamar alguém, onomatopeia SNAP!  Surge o dragãozão cuspidor de fogo - RUGE!  Queima principalmente cabeça do fumante:  desvantagem do isqueiro medieval.  //  “Bichinhos de jardim”, de CLARA GOMES - Flor falante Minha insônia é muito produtiva...  Penso na vida, devaneio escolhas, lembro de contas a pagar... programo voltar ao pilates, marcar endócrino e oftalmo... e ainda ensaio mentalmente minha entrevista imaginada pelo Jô!” ----- Joaninha ante o notebook:  “Tec!  Confirmo que li e concordo com os termos e condições e política de privacidade... preparando para instalar o aplicativo Vida Adulta!” ----- Caracol:  “Não importa quão difícil esteja a vida...  A gente sempre pode sorrir...  Colocar uma trilha jovem e descontraída...  E fingir que estamos numa propaganda de celular!”  joaninha;  “Mas tô sem sinal!” ----- Caracol:  “Hoje estou sensitivo!”  Joaninha:  “Já existe pasta de dentes para isso!”  Caracol:  “Minha paranormalidade está aflorada!”  Joaninha:  “Legal.  Pode ir no Fantástico.”  Caracol:  “Você está irradiando energias conflitantes...”  Joaninha:  “Imagina quando eu irradiar laser?” LEIAM meu trabalho “Menestrel no século XX?” NOTAS DO AUTOR: MENESTREL - Na Idade Média, poeta e bardo que criava ou memorizava e floreava obras alheias, alguns deles errantes de cidade em cidade, exercendo predominantemente as funções de músico (tocavam rabeca, ancestral do violino, e alaúde, ancestral do violão e da viola de nossos dias) e cantor, e também de dramaturgos, dançarinos, acrobatas e malabaristas, ora junto aos fidalgos ora junto ao povo.  A música popular, assim como as trovas, baseavam-se em temas sentimentais e guerreiros.   Outros instrumentos musicais eram o órgão, o címbalo, a cítara, a harpa, a guitarra, a flauta e o oboé. ALAÚDE - Precursor do mandolim e do bandolim, instrumentos que têm o corpo abaulado e lembram uma pêra cortada.  O violão (ouvi que é termo exclusivo do Brasil) é um instrumento “novo” que somente em  1750 começou a ‘nascer’, mais ou menos como se conhece na atualidade. NOSCE TE IPSUM - Frase inscrita por certo em latim, na entrada do templo de Apolo, em Delfos, na Grécia, SÓCRATES como provável autor. F  I  M  
Copyright ATHINGANOI © 2017
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 14 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Lindo lindo, lindo... Eu me imaginei na tal torre, vigiada por dragão feroz, a espera do meu valente libertador que poetizará textos maravilhosos. Sonhar é permitido? Parabéns!

Postado por lucia maria em 02-11-2017

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.