Página inicial do portal Autores & Leitores
Quem  |  Autores  |  Leitores  |  Associados  |  Mural  |  Dúvidas  |  Contato  |     PUBLICAR    |
Entrar | Registrar
 Esqueci minha senha
Anúncio ebook Vigilante

Área dos LEITORES

Colunistas

Autores Consagrados

Quadrinhos

Bibiotecas Virtuais

Livros

Novos autores

Downloads

Lançamentos

Ofertas

Informações

Autores & Leitores  >  Leitores >  Novos

Apresentação de trabalho publicado

Caro leitor,

Sinta-se à vontade para ler este trabalho e deixar seus comentários.

Bons Textos!




< Visite a Página Pessoal de ATHINGANOI >


ANÚNCIO HÁ QUE SER CRIATIVO-PARTE IV



					    
Lenda ou verdade, o padre ANTÕNIO VIEIRA não tinha lá essa inteligência toda, mas pedia sempre que Nossa Senhora o iluminasse.  No meio de certa reza, sentiu um “estalo” na cabeça a ponto de quase desfalecer e consta que surgiu do nada uma inteligência rara, daí que escreveu os famosos Sermões etc. etc. etc.  EINSTEIN, pelo que se lê em biografia, não era lá essas coisas em matemática - judeu, pode ser que nele tenha baixado o líder condutor do povo semita MOISÉS  e/ou o profeta ELIAS:  super ultra hiper genialidade em seguida. O “ESTALO” NO GÊNIO MODERNO - Tenho um amigo muito  inteligente, hoje senhor, porém, aos olhos leigos dos outros sempre com pensamentos aparentemente ilógicos e embaralhados.  Ao contrário! Gênios sempre incompreendidos pelo... “primeiro degrau”, isto é, o mais baixo da escada intelectual.  Sabe meu nome iniciado com R, pronuncia nomes de Ra até Ru (aqui, chega perto...), sem acertar nunca.  Segunda metade da década de70, estudava Letras na UFRJ, excelente aluno, porém pode-se dizer que ‘enrolado’, pensamento sempre em livros superioríssimos, distraidão, cérebro distante da sala de aula.  Professora de português indicou que ele apresentasse trabalho criativo e original (aí é que mora o perigo... nenhuma fonte inspiradora!) sobre frases publicitárias e o Senhor-Não-Sei-De-Nada-Às- Vezes não entendeu além do tema, pode?  Pois é.  Sempre que viajava de trem, da casa suburbana  à faculdade no centro do Rio ou vice-versa, tentava cochilar pois o fatalismo o perseguia em várias situações semelhantes.  (Mentalizava “Trem de Alagoas”, de ASCENSO FERREIRA, e “Trem de ferro”, do MANUEL BANDEIRA... dormitava rapidinho no embalo sacudido das rodas metálicas.)  Dois passageiros bêbados irracionais discutiam em pé e um tentou atingir o outro com uma “revistada” na cabeça, rolo amarrado com barbante - soube-se depois que um boi atravessou a linha do trem e este parou num solavanco -, agressor errou o alvo, atingiu meu futuro AMIGO (sentado, quieto) no alto da cabeça;  este viu uma espécie de brilho, lembrou das estrelas de BILAC e quase desmaiou.  Os homens pensaram que havia morrido, as duas revistas (iguais!) caídas ao chão, melhor fugirem.  Pois bem!  Era publicação gratuita, farta publicidade comercial de muitas lojas num mesmo espaço de duas ou três ruas da Saara... e alguns produtos de outros ambientes próximos.  Um minuto antes, deram a “arma” na mão dele semi aberta, o trem andou novamente... e sem esforço algum o trabalho universitário estava ali, sob seus joelhos.  Quebra-cabeças (trocadilho infame!)... inteiro. ----- Em casa, estudou tema (abstrato) e assunto (concreto), recortou as gravuras coloridas e montou o trabalho na forma de um álbum, do qual recentemente me pediu possível publicação, “ainda que tardia”, palavras do antigo acadêmico.  Ei-lo: “Data - 1 de abril de 1974. ----- LINGUAGEM DA PROPAGANDA ESCRITA - sociedade de consumo e condicionamento / abordagem lingüística: 1---APELOS  //  ESTRATIFICAÇÃO, discriminação, ascensão social, tradição e bom gosto:  O homem inteligente lê.  Agarre o sucesso.  O tecido X não se mistura e veste o homem elegante e refinado.  Entre para as colunas sociais dirigindo este carro. /   FANTASIA, o objeto fala ou se concretiza:  Ponha primavera em sua sala.  Experimente minha sedução e depois deixe-me se for capaz (apelo puxa apelo - erotismo).    Ponha um Tigre no seu carro. / HUMOR, contingência ao anterior:  Cada um tem o machucado que merece.  Ponha um hippie na sua cama.  A sorte e o azar esperam por você:  escolha com quem quer ficar (humor negro).  Habemus Amerindus.  O primeiro desodorante inteligente (humor crítico). / TROCADILHO (humor + fantasia), mais imaginação e criação:  Deixe sua sede morrer de frio.  Ande um pouco mais e pague um pouco menos.  Compre sua geladeira antes que o preço se derreta.  A copa nasceu na cozinha.  Você pode comprar outro ferro que não seja X, mas não se queixe depois que está passando mal. / FRASE MAL ADAPTADA:  Estamos pondo ordem neste progresso.  Amigos, amigos:  negócios inclusive.  Sossega, verão! / “CRÍTICA” ao mundo atual (máquina, não comunicação etc.):  É a batalha contra a angústia.  Um homem não é um número.  A máquina que vale a pena.  Com a cerveja X, a gente se entende.  Liberdade de criar. / JUVENTUDE, manutenção da faixa etária:  Mais avançada que esta calça, somente a faixa dela.  Um toque genial em sua jovialidade. / VOCABULÁRIO atual, termos modernos:  Um telefone que não pifa.  Um barato usar sabonete X.  É jóia. Ligue-me na onda Mundial.  Ligue na Eldorado e se desligue / BASE NA DIFERENÇA:  Shell insiste que não é igual a todo mundo. / INTERROGAÇÃO:  Com quem se parece seu filho?  Qual o seu preço? Com quem você anda subindo para o seu apartamento? / O ESPERADO há muito, finalmente a coisa:  Chegou o principal gravador.  O carro mais esperado do Brasil.  Enfim, a calça! / O MELHOR, o máximo:  O melhor som.  Quem não é o maior, tem que ser o melhor. / MACHISMO, violência:  O homem que quer, fuma X.  Os homens se encontram no Arizona.  Y, o cigarro do homem corajoso. / CRIANÇA, símbolo de pureza:  Neste Natal, lembre-se de mim.  Peça à mamãe para...  Todas as crianças amam a Mônica. / FAMÍLIA como instituição:  Onde está seu irmão?  Que o ano X seja seguro como a mão do papai.  O espaço que a família precisa.  Faça seu bebê sorrir. / MATER FAMÍLIA, consciência:  Confie em mim como seu filho confia em você.  Segurança para a sua família.  Será que dá tempo de socorrer seu filho?  Você lê Pais e Filhos? / FÓRMULAS:  A fórmula para emagrecer é o adoçante X.  O segredo da boa dona de casa. / VIDA PLENA ou a ser gozada, curtida:  Mais vida em sua vida.  Leite condensado faz a sua vida mais gostosa. / INTEGRAÇÃO:  Brasil, eu fico (patriotismo).  Ligue- se com a Rádio Globo em todo o mundo.  Fique por dentro com a Mundial. /  MUDANÇA de padrões, nova era, novos tempos:  Torne-se o bom agora.  Qual dessas épocas você está vivendo?  Troque de roupa antes que troquem você.  Fim da era do levantamento de pisos.  Os reacionários detestam mulheres jovens.  / EROTISMO, sexo (duplo sentido):  Não resista mais:  leve-o anda hoje para a sua cama.  Troque de lingerie, boa maneira de tirar o sono de seu marido. / PADRÃO estético da época, elegância e beleza:  Seja esguio e elegante com o adoçante X.  / AMOR E CARINHO:  Com açúcar e com afeto.  Da cozinha com amor.  O biscoito X fala de amor com você.  Sessenta corações ao seu dispor. / METAPROPAGANDA, meta-anúncio:  Nosso nome aparece tão pequeno nos novelos, que pagamos este anúncio para ele ficar maior.  Você vê neste anúncio.  O lençol que resiste ao anúncio de São Tomé.  / MARCA:  Exija a etiqueta X.  Vai ser difícil superar esta marca.  O extrato de tomate do elefantinho.”  “2---TRATAMENTO LINGUISTICO // SOM:  Como vai o teu som?  O som maravilhoso do gravador X.  Som, alegria da vida.  O sabor delicioso do som (sinestesia). / SABOR:  O sabor mais puro.  O sabor de uma vida a dois. / AMBIVALÊNCIA DE SENTIDO:  No Brasil toda mulher tem Charm.  O segredo do Gin das selvas.  Os homens se encontram no Arizona.  Freud esqueceu a mulher. / ARTIGO masculino adjetivante:  Apresentamos O fogão.  / O MÁXIMO:  A hora do superlativo.  Satisteitíssimo.  O manda-chuva.  O exibicionista.  O ligadão. / DIMINUTIVO afetivo:  A redondinha.  Esse rotulozinho. / REPETIÇÃO:  Decorex dura, dura, dura.  Sobe, desce, sobe, desce (alternando). / ONOMATOPEIA:  Bham!  Psiu...  Grrrrr... / RIMA:  Novela é Supermanoela.  Se é Trianon, o produto é bom.  Veja ilustre passageiro, o belo tipo faceiro...  Quem bebe, repete. / ALITERAÇÃO:  O sabor leve e suave.  Colorido Colorado. / REPETIÇÃO:  ...ÀÀÀÀÀ beça... / NEOLOGISMOS:  Primaverize-se neste verão com as calças X.  Peraltas tergalizados. / ADAPTAÇÃO de palavra estrangeira:  Kiss-me, sinta-me, pegue-me, Fume-me. / SÍMBOLO, A é B:  Sopa é Maggi.  Peixe é Pescal.  Som é Philips.  Açúcar é Pérola. PALAVRA “só”:  Malhas só Hering.  Guaraná só Brahma.  Pilhas só as Amarelinhas. / FANTÁSTICO, extraordinário:  O rádio mais extraordinário. / SINESTESIA:  Som dourado. / SUPER:  Meias com maior quilometragem.  Super- Shell.  Super-dotado.  / MINI:  Mini-Brahma.  Mini-Cassette. / IRONIZANDO a instituição do casamento:  Artex prova que existem casamentos perfeitos.  Acredite, a fidelidade existe.” Este foi o lado sério do trabalho acadêmico.  Mas tudo na vida tem dois lados - a frente, o verso;  a direita, a esquerda;  parte superior, parte inferior. Espetáculo, pode-se  dizer gozadíssimo.  LUÊ hoje assim o descreve, saudoso dos velhos tempos...  “Gordo de casaca preta e chapéu coco, arranjei um secretário macérrimo que ampliava as projeções das publicidades super coloridas na parede clara, às vezes desencontradas de propósito;  e improvisadamente ‘discutíamos’, cínicos de propósito.” Trabalho muito bom.  Nota 10, conceito A.  E ao final, aplausos de pé. CONSUMISMO ATUAL: HQ  -  “Dustin”, de STEVE KELLEY e JEFF PARKER - Mulher:  “Acabei de receber um alerta do cartão de crédito  Eles querem saber se estou com o meu cartão.”  Marido:  “Isto não é bom,”  Mulher ao telefone:  “Oi, aqui é a Helen Hudlok.  Acabei de receber um alerta de segurança...  Sim, estou com o meu cartão.  Claro que sei que hoje é Cyber Monday...  Sério?  Com base no meu histórico...  OL.  Obrigada.”  Ela para o marido:  “O sistema suspendeu o meu cartão por inatividade suspeita.” ----- Mulher:  “Eu lhe disse que alguém roubou o meu cartão de crédito?”   Marido:  “Hã?”  Mulher:  “Não uso há dias e agora terei de pagar uma taxa de dezoito dólares... injustiça!”  Marido:  “Dezoito dólares?”  Mulher:  “Você não vai ligar para o banco?”  Marido:  “Vou deixar quem roubou pagar!” -----   Mulher segurando folheto publicitário:  “Todos os vestidos hoje pela metade do preço!  Sandálias de todos os modelos...  Compre uma e leve outra grátis?  Demais!”  Ela para o marido e o filho:  “Fui!  A loucura de vocês é o futebol...  A minha é shopping!” ----- Vendedor jovem:  “Esse relógio não marca só as horas...  Ele trabalha sincronizado com o seu celular...  Olha ele monitora sua freqüência cardíaca!  (Pausa.)  Você está bem, senhor?  Parece que está tendo um pico em seu pulso!”  Homem calado.  Mulher:  “Não se preocupe...  Acho que ele acabou de ver o preço!” ----- Mulher olhando armário de roupas:  “Eu não tenho nada pra vestir esta noite.”  Marido:  “Sério?”  Mulher:  “Sim.  Verdade que sempre que vamos em um evento, amigos postam fotos nas redes sociais.”  Marido:  “E você sempre maravilhosa, querida.”  Mulher:  “Essas fotos nunca deixarão de existir, Ed.”  Marido:  “Hum...  Mas qual o problema?”  Mulher:  “Eu não posso ser vista no Facebook com o mesmo vestido que usei no  Instagram.”  Marido esconde rosto com a mão e ri. ----- Amigo:  “Sua mãe não usa um vestido depois de alguém ter postado uma foto dela usando no Facebook.  Ela não quer ser vista com o mesmo vestido em dois eventos diferentes.”  Dustin:  “Eita, isso pode ficar caro.”  Amigo:  “Nem me fale.  Ou ela terá que sair das redes sociais... ou terei que aprender photoshop.” ----- Marido:  “Querida, ande logo, estamos atrasados!”  Mulher se maquilando:  “Calma!  Não estou acostumada com esta nova linha de cosméticos!  Tudo é diferente, querido!  Lápis, rímel, batom, blush... tudo especialmente criado... você sabe... para me dar esse olhar semmaquilagem!” - ---- Marido mexendo no pulso, pensando:  “Objetivo alcançado...”  Helen olhando celular, pensando:   “Manteiga sem sal...”  Ele, mostrando o pulso e falando:  “Nunca pensei que pediria ao meu relógio para me manter em forma.”  Helen:  “Nunca pensei que pediria ao meu telefone dicas para fazer bolinhos.” NOTA DO AUTOR: O GORDO (inglês STAN LAUREL - 1890/1965) E O MAGRO (americano OLIVER HARDY - 1892/1957) - Famosa dupla de comediantes, uma das equipes cômicas mais populares do cinema dos States, em atividade desde o cinema mudo até meados da Era de Ouro de Hollywood, último filme em 1951. F  I  M
Copyright ATHINGANOI © 2017
Todos os direitos reservados.
Este trabalho já foi visitado 18 vezes.

ENVIE este trabalho para um(a) amigo(a). ESCREVA para ATHINGANOI.

Comentários dos leitores

Dá para perceber produtos eternizados.. E isto no aspecto de Gordo & Magro, melhor ainda. Adorei. Parabéns!

Postado por lucia maria em 02-11-2017

COMENTE ESTE TRABALHO, DIZENDO QUAL FOI A IMPRESSÃO QUE ELE LHE CAUSOU.





AJUDE-NOS a manter o bom nível deste portal!

Se você achou que este texto é ofensivo, imoral ou que fere
a nossa POLÍTICA DE USO, por favor, AVISE-NOS!




Autores & Leitores
  • Copyright A&L © 2005-2013
  • Todos os direitos reservados.